Consultoria de Marketing e Empresarial Interliga Marketing Factual

Minha Amplificação

[Aviso] Neste momento seu concorrente pode te ultrapassar no Google [Saiba porquê]

[Aviso] Neste momento seu concorrente pode te ultrapassar no Google [Saiba porquê]

Se você quer aparecer mais que seu concorrente nas páginas de resultados do Google, esse artigo é para você.

Recentemente recebemos aqui na Interliga um aviso do Google por e-mail (da ferramenta para webmasters – Search Console) e isso me motivou a escrever esse artigo. O Google anunciou que a partir de 21 de abril deste ano, os resultados de pesquisas irão considerar a experiência do usuário com o conteúdo na tela do smartphone.

E por que isto é importante para você ou sua empresa? Você descobrirá isso e outros detalhes importantes ao longo desse artigo.

O impacto nas buscas por celular

Experiencia móvel amigável - Mobile Friendly

Quando uma pessoa fizer uma busca pelo celular, o Google (o algorítimo ou a forma programada do buscador), irá considerar se o conteúdo está amigável para dispositivos móveis para posicionar ou ordenar os resultados. Logo, a forma como o conteúdo é visualizado pelo smartphone ou tablet, por exemplo, será considerado como fator de posicionamento nos resultados de pesquisa (ranking).

Sim! O Google é capaz de “entender” como cada página de um website, por exemplo, é visualizada em um smartphone.

Claro, isto com toda a certeza terá um alto impacto nas páginas de resultados de buscas. Logo, uma busca feita em um smartphone não trará resultados totalmente similares a uma busca feita em um notebook.

Outro destaque dessa modificação é sobre aplicativos móveis. Se sua empresa disponibiliza aplicativos, você também poderá dar mais destaque a eles implementando um Indexing App. Isto significa oferecer os sinais (técnicos) necessários para aparecer com seu aplicativo nos resultados de pesquisa.

Onde mora o perigo?

Onde está o perigo?

Em relação aos conteúdos de um website, por exemplo, sua empresa precisa oferecer conteúdos Mobile Friendly. Como assim? Isto significa que o site e conteúdo precisa ser amigável para dispositivos móveis.

E se você depende do seu site para vender mais, isto com certeza vai minar suas vendas futuras. Problemão!

Ao negligenciar essa experiência do visitante, você poderá vir a perder posições nos resultados do Google. Isto significa menos visitas no site e com certeza menos vendas.

Mas, antes que você corra e peça para um programador desenvolver um app (aplicativo) para sua empresa figurar nos celulares,  vou lhe apresentar uma solução ainda nesse post. Apps são importantes mas tem o momento certo para entrar em suas estratégias de negócio. Vamos ao conteúdo!

Nesse artigo você vai compreender:

  • Por que o Google está fortalecendo a experiência móvel;
  • Compreender o impacto da internet móvel para seu negócio;
  • Uma solução rápida, plausível e econômica para abranger vários dispositivos.

O poder da internet móvel para seu negócio

Internet Móvel

De acordo com a missão da própria Google, a empresa deseja “organizar as informações mundiais e torná-las mais úteis e acessíveis”. Isto inclui analisar a relevância e dar importância a como essa informação é acessada.

Legal, agora que sabemos disso, vamos avaliar alguns números para saber se está na hora mesmo de você e seu negócio se preocupar com internet móvel.

A F/Nazca, agência de renome internacional e responsável por grandes cases, apresentou um estudo (outubro 2013) com apoio do Datafolha que aponta que 43 milhões de brasileiros acessam a internet por meio do celular.

A pesquisa aponta que 3,8 milhões de brasileiros iniciaram sua experiência com internet a partir de um celular. Número que aliás vem crescendo exponencialmente.

Outro dado importante é que a utilização de celulares já disputa contra computadores e notebooks como forma de acesso à Internet.

No caso, 66% dos acessos é feito por celulares e 71% por notebooks e computadores. Estes números foram apresentados na Pesquisa brasileira de mídia 2015 – Hábitos de consumo de mídia pela população brasileira de 2014 (SECOM) .

Além disso, segundo o Ipsos (instituto de pesquisa) e a PayPal (empresa de renome mundial em pagamentos online), o internauta brasileiro está mais seguro e comprando mais por tablet e smartphone.

Bem, se isto está acontecendo bem abaixo dos nossos narizes, fica muito fácil entender porque os resultados de pesquisas estão se adaptando a essa nova realidade.

O Google está ajudando as pessoas a encontrar conteúdos mobile-friendly e fica extremamente fácil dizer que isso é apenas o começo.

O brasileiro tem passado em média 84 minutos do seu dia no smartphone, isto é, quase uma hora e meia por dia. E para muitas pessoas , o smartphone chega ser a primeira forma escolhida para ter acesso a internet.

Fica fácil também entender o impacto positivo em vendas que sua empresa terá ao pensar ou repensar seu conteúdo para dispositivos móveis.

Como o Google está vendo seu site atual?

Para fazer um teste com seu site utilize a ferramenta de teste de compatibilidade do Google aqui.

ferramenta-de-averiguacao-mobile-developers-google
Teste de visualização feito em site de um cliente da Interliga

Mas calma! Antes que você entre em parafuso vou apresentar uma solução que, como mencionei acima, é rápida, plausível e econômica.

Qual é a solução então?

Site Responsivo

Se você ainda não ouviu falar sobre sites responsivos, pode estar perdendo grandes chances de oferecer uma boa experiência com sua marca (no seu site).

Eles já são uma realidade há alguns anos. Hoje, ainda vejo empresas com sites somente para desktop ou notebook. Mas o site já é com certeza “a sensação do momento”. Um formato útil para as empresas que já entenderam que devem criar conteúdos pensando em pessoas.

Sim, pensar no seu público é a melhor estratégia para a geração de conteúdo relevante. Claro, pensar no que desejam consumir como conteúdo e também como desejam acessar.

Um site responsivo é aquele que, como o nome diz, responde ao tamanho de tela no qual é acessado. Não são sites distintos por aparelho que se acessa. Se trata de um mesmo site que se ajusta automaticamente. Isto significa ter um site amigável ao visitante e também à multiplicidade de modelos e tamanhos de celulares.

Tem o nome de responsivo pois responde ao tamanho da tela.

Converse com sua agência de internet ou profissional web sobre esse artigo. Eles poderão dar maiores detalhes sobre a responsividade de um site.

Como lhe falei, por se tratar de um site único que responde ao tamanho da tela, ele também será uma aquisição ou investimento único. Logo, ele é a solução mais plausível, rápida e econômica para “atacar” a diversidade de tamanhos de telas (notebooks, netbooks, desktops, tablets e smartphones e TV).

Atenção!

É muito importante dizer que ter um site responsivo não é garantia de bom posicionamento nas páginas de resultados do Google. Muitos outros itens de posicionamento/ranking estão em jogo e continuam valendo.

Para trazer mais visitas e importante ter no website um excelente trabalho de otimização (SEO) algo que falei um pouco no artigo O que é SEO e como isso pode ajudar sua empresa? [só para empresas].

Bom agora que você já sabe estas informações, não dá mais para ser pego de surpresa.

Nesse artigo você viu:

  • Porque o Google está ajudando as pessoas a encontrar conteúdos amigáveis para dispositivos móveis.
  • Alguns números da internet no Brasil e como a mudança nas buscas do Google irão impactar sua empresa.
  • A solução mais rápida, realizável e econômica para seu negócio: O site responsivo.

E aí? Agora é com você!

Gostou? Compartilhe! Já tem site responsivo? Conte para nós o que está achando.